Seja Leve

22-12-2016

Toca o despertador, mais um dia se inicia. Sonolentos nos encaminhamos às nossas obrigações cotidianas, quase que de forma automática, pois estamos acostumados a esta rotina. Trabalhamos duro, nos esforçamos, ganhamos dinheiro, sustentamos nossa família. Queremos ser alguém na vida - pensamos - almejando sempre um nível a mais, uma promoção, algum ganho maior, investindo nosso tempo, energia, suor, saúde e a própria vida neste empreendimento.

Corremos feito loucos para competir com os outros que, da mesma forma, também estão desbaratinados em busca do sonho eldorado de ter mais, cada vez mais, acreditando fielmente que a felicidade está no fim deste sinistro túnel, que valerá a pena o esforço, que no final tudo vai dar certo.

Estamos doentes, estressados, neuróticos, deprimidos, desesperados em busca de algo que nem sabemos. Somos motivados pelo bombardeio de propaganda, informações que nos manipulam e nos dirigem a um objetivo mórbido, que nos usa e nos descarta quando não podemos mais nada oferecer.

É muito duro ler estas palavras, porque nos identificamos profundamente com esta realidade. É um confronto, uma forma de chacoalhar as nossas estruturas para ver se acordamos, abrimos os olhos para o que é essencial e abandonamos o peso deste estilo patológico de vida.

Nos preocupamos demais e, na morfologia deste conceito, estamos constantemente "pré ocupados" com o futuro incerto e nos esquecemos de nos ocupar com o presente, sendo gratos pelo que já temos, por nossos amigos, nossas famílias, por nós mesmos. Afinal, estamos vivos e precisamos aprender a viver.

Estamos no hoje, é no agora que a vida acontece. Experimente, por alguns momentos, frear esta roda frenética que está a sua vida e parar, simplesmente parar, para se perceber, para perceber os outros à sua volta, um pássaro que canta, uma folha que cai.

"É preciso saber viver."

Fiquem em paz.